quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Amanhecer cinzento

O dia vai nascendo,
O nevoeiro impede o sol de iluminar o dia
Quem passa não é mais que um vulto, uma sombra,
Imagens sombrias de algo que é belo.
Um sorriso no rosto de quem passa,
Um rasgo de sol que aquece a alma.
Neblina que altera a paisagem,
Imagens fantásticas em movimento,
Formas destorcidas que avivam a imaginação.
O belo que não se perde, somente se altera,
A beleza que vem de dentro de quem olha.
Amanhecer cinzento… tão belo…

Pedro Bernardo
11 Outubro 2012

2 comentários:

anita sereno disse...

maravilhoso poema que o sol se faça presente nos teus dias beijos e um radioso fim de semana grata pela visita amei

Portal De Mis Desvelos disse...

Love it! Muy lindo, Gracias por compartir,